Minha referência afro é o Rock in Roll

by - 21:47


Durante um bom tempo fui bastante hostilizada pelo movimento negro, por ter algumas diferenças de postura, a exemplo de ter trabalhado por  sete anos no Ilê Aiyê e nunca ter a mínima vontade de sair bloco ou simplesmente porque gosto do preto ou porque gosto mais de Freddie Mercury do que de Margarete Menezes. Hoje sigo sendo olhada de canto, mas toquei o foda-se pra tanta coisa que essa galera anda no mute pra mim.
Comecei a curtir rock bem cedo, aos 10/11anos, acho que por "influência" das minhas irmãs que gostavam de cazuza e Guns and Rose. Crescendo esse porem não cabia em lugar algum, fui expulsa da catequese aos 13 anos e mais tarde da escola aos 15, tudo por conta de comportamento. Era uma leitora voraz, questionadora, apaixonada por história e música, mas a postura nada "menina direita" falava mais auto.

O movimento negro e social foi uma GRANDE escola pra mim, mas essa escola precisa ampliar seu rol de livro (e está caminhando). Foi na atuação política e social do movimento negro que descobri o significado de identidade. Passei a gostar de maquiagem e moda bemmmm tarde, mas tenho medo quando alguém me convida para desfile afro ou me pedem para falar sobre minhas referências. Até mesmo porque nunca falo o que querem escutar, algo como " inspiro-me no look de Angela Daves", meus pêsames, mas SQN. Minha referência afro se chama Rock in Roll baby.
Nos meus primeiros aninhos de militança eu saia de bata, turbante, e colares de coco achando que isso era ser afro, mas descobri bemmm tarde que referência política é diferente de referência de moda. Hoje não saiu por aí de bata, vestida com um rosto de uma mulher de black em uma malha de vermelho, verde e amarelo. Já sabia que o rock é mais do que musica é um estilo de vida, mas foi no Rio de Janeiro que entendi o que queria expressar durante meus primeiros aninhos de ativismo.

Gostos de Sepultura, Metálica,  Iron Maiden, Hammitein, Sytem of down, Kiss e amooo Freddie Mercury. Gosto de roupa preta, jaquetas, spaikes, mas também curto ouro, bolinhas e um bom batom lilás. Gosto de guitarras rasgadar, de gutural que pra você deve ser um monte de homem gritando algo que você não entende, gosto de Fogo paulista e de whisky com red bul. Minhas referências são Jimi Hendrix, Muddy Water, Chuck Berry, Mama do jazz, BB King, Aretha Franklin, Ruth Brown, Rosetta Tharpe. Tenho uma notícia pra te dar, tudo isso faz parte do berço do Rock and Roll, coisa de negão Baby.
Então nao venha dizer que sou menos preta porque não escuto Muzenza, Fela, Samba, Olodum, Margareth ou porque não ando fantasiada de preta. Meu máximo respeito pela contribuição cultural ou referência de cada um, mas na minha casa não toca.
Não gostou? Foda-se!

You May Also Like

0 comentários

Quero muito sabe o que você achou, não vai antes de me contar viu!